palhocense.jpg

Homem preso em Palhoça teria ligação com chacina na Capital

13 Abril 2017 10:49:57

Na noite de quarta-feira (5), os celulares dos palhocenses foram inundados com mensagens transmitidas por grupos de WhatsApp com imagens de vítimas de uma chacina em um morro na Costeira do Pirajubaé, em Florianópolis. Cerca de 15 homens, que seriam ligados à facção criminosa PGC, teriam invadido o morro, armados de fuzil e pistolas, e disparado contra seis pessoas; quatro delas morreram e outras duas estão hospitalizadas. O episódio seria parte da batalha pelo controle do tráfico de drogas naquela comunidade. Junto com as imagens, circulou um áudio, indicando que pelo menos dois dos autores da chacina seriam de Palhoça, do bairro Passa Vinte.
A informação trouxe medo aos moradores do local. Para piorar a situação, na manhã seguinte, um novo áudio circulou, indicando que a retaliação já havia começado e dois homens teriam sido assassinados em frente a um bar. Segundo o comandante do batalhão da PM em Palhoça, o tenente-coronel Paulo Sérgio Souza, nenhuma das informações foi confirmada. “A gente recebeu nos grupos de WhatsApp um áudio falando de um homicídio no Passa Vinte, em frente a um bar, fazendo referência ao pessoal não sair de casa. Este áudio não é verídico. A gente estava com a Operação Fecha Quartel, com viaturas no Passa Vinte, no Pagani, muito próximas ao local referenciado. Chegamos ao local para verificar e nada havia ocorrido. Foi mais um boato que uma pessoa irresponsável colocou nos grupos e acabou se disseminando”, lamentou o comandante.
A informação de que dois dos autores dos crimes na Costeira seriam de Palhoça também não foi confirmada. Um dos suspeitos mencionados estaria preso na Colônia Penal Agrícola, e portanto, não poderia ter participado da chacina. O outro nome cogitado não seria morador de Palhoça.
Porém, na sexta-feira (7) pela manhã, o comando do batalhão recebeu a informação de que outro suspeito de participação na chacina estava em Palhoça. Ele havia sido preso na noite de quarta-feira pela Polícia Militar de posse de uma arma de fogo e foi solto logo em seguida na audiência de custódia. Mais tarde, a Justiça decretaria a prisão preventiva desse suspeito, que se encontrava no Aririú da Formiga. “Tínhamos a informação da prisão preventiva dele e também da localização. Montamos uma operação policial, fomos no endereço citado e logramos êxito na prisão. Estava dentro de uma residência, de posse de uma arma de fogo, uma pistola, certa quantidade de cocaína e dinheiro”, comenta o comandante.
O suspeito, de 40 anos de idade, foi detido na manhã de sexta-feira (7), no Aririú da Formiga. O homem detido tinha várias passagens policiais, com 18 boletins de ocorrências, por formação de quadrilha ou bando, homicídio, tentativa de homicídio e tráfico de drogas. Momento antes da abordagem, o suspeito jogou uma sacola pela janela da residência onde se encontrava. A sacola foi recolhida pelos policiais. Foram encontrados em seu interior 15 gramas de cocaína. No bolso da bermuda do suspeito, havia R$ 1.120. Na residência, foi localizada uma pistola 635, sem numeração aparente.


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina