palhocense.jpg

Falando Sério - Edição 578 - 02/03/17

02 Março 2017 12:39:17

Charge Juarez Nahas 08.jpg

Baderna geral

Eu pretendia aproveitar este espaço para conversar com vocês sobre coisas amenas. Sobre poesia, amor, o bem, o paraíso, mas de repente senti o cheiro de fumaça. Espiei pela janela e vi aquela fumaceira malcheirosa, espalhando-se pela redondeza, entrando pelas janelas das casas e dos apartamentos. Este problema se repete diariamente, de norte a sul, em vários municípios que sofrem com más administrações.
O mais triste é que os vizinhos se omitem e a desordem vai reinando numa terra de ninguém. Os motoqueiros aceleram como se estivessem subindo montanhas ou disputando campeonatos de velocidade. Os automóveis, dirigidos por péssimos motoristas, provocam o caos na cidade, com buzinaços e estacionando em local proibido.
As bicicletas, sem pista própria, ajudam a aumentar os problemas do trânsito. As cidades crescem, mas os administradores continuam como se vivêssemos no século XX. Os ônibus e os caminhões colaboram com a “tranqueira”, como diz o povo.
Se os problemas fossem, apenas, os citados acima... O medo de sairmos para trabalhar, fazer compras, ir ao médico, voltar do serviço, preocupar-se com a ida dos filhos para estudarem sem saber se voltam ilesos, pela falta de segurança de um modo geral. Tudo isso ocorre porque as cidades estão repletas de andarilhos pelas ruas, exigindo dinheiro, alguns ameaçando, outros roubando, sem que nada seja feito pelas pessoas que têm a responsabilidade (e ganham para isso) de darem ao povo, que paga impostos, um pouco de segurança.
Só não encontramos pelas ruas – para escutarem o povo – os políticos, que são pagos para administrarem e fazem leis em benefício dos cidadãos que trabalham e pagam seus salários.
As pessoas que vêm de outros municípios para conhecer Palhoça ficam assustadas ao verem o que ocorre pelas ruas, diariamente: é um cara enorme vestido de mulher, dizendo palavrões e se achando o dono do ponto de ônibus; outro, a qualquer hora do dia ou da noite, gritando “tabaco” pelas ruas; são os raps tomando conta da praça, falando palavrões, tirando o prazer das famílias de sentarem nos bancos da praça e verem seus filhos brincarem; e muitos outros que atacam os transeuntes.
Existem, ainda, coisas piores ocorrendo na cidade e nenhuma atitude é tomada para coibir a baderna reinante, que assusta a população cumpridora dos seus deveres e que espera que seus direitos sejam respeitados.
Onde estão as nossas “autoridades”? Só vão aparecer na próxima eleição.
PARA PENSAR: “A verdade é uma senhora inconveniente que produz escândalos toda vez que aparece em público”. (Ext.)

Imagens


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina