palhocense.jpg

Na elite mundial

11 Maio 2017 09:54:14

Tainá Hinckel completa 14 anos e dá um presente à Guarda do Embaú: representar a praia palhocense na etapa carioca do circuito da WSL

2309c370a192e025a4167f42cdbe8cbb.jpg
Foto: POULLENOT/DIVULGAÇÃO/WSL
"Jamais poderia receber um presente melhor que esse"

“Sem palavras para o dia de hoje, com certeza o melhor dia da minha vida! Jamais poderia receber um presente melhor que esse, campeã do trials aqui em Saquarema e assim confirmada no @oiriopro CT 2017... Tenho muita gente pra agradecer! Agora, um novo ciclo que começa, um ano mais velha e de mais experiência. Vamos com tudo amanhã, borá se divertir.” Foi assim que a surfista palhocense Tainá Hinckel, que acaba de completar 14 anos, descreveu a inédita participação em uma etapa do circuito mundial da World Surf League (WSL), o Oi Rio Women’s Pro, no Rio de Janeiro, que começou na terça-feira (9), em Saquarema (RJ). “É muito importante pra carreira dela, como sendo uma boa vitrine e uma grande experiência pro surfe dela”, avalia o pai, o também surfista Carlos Kxot. “Todos estão muito amarradões de ver o surfe dela e a possibilidade de ser uma nova representante do Brasil. Estamos muito felizes”, define.
A atleta da Guarda do Embaú é a mais jovem entre as competidoras da etapa carioca. Ela recebeu o convite para disputar as triagens em função do título do Sul-Americano Pro Junior, no ano passado, no Peru. Tainá venceu as triagens – disputadas na segunda-feira (8), dia em que completou 14 anos – e ganhou o “wildcard” para completar a terceira bateria da elite do surfe feminino no Rio Pro, ao lado das australianas Stephanie Gilmore (hexacampeã mundial) e Keely Andrew.
A bateria foi disputada na terça-feira (9). Com um mar muito mexido e sem ondas “aproveitáveis”, Tainá conseguiu somar 1,50 ponto, suficiente para terminar a bateria à frente de Keely Andrew (0,50 ponto). Gilmore avançou também com uma única onda surfada, nota 6,33. “Foi uma bateria fora do normal, porque simplesmente não entrou onda. Elas passaram praticamente os 30 minutos boiando. No final, a Tainá conseguiu pegar uma onda, até parecia uma onda bonita, mas acabou ficando ruim”, comenta Kxot.
Tainá foi para a repescagem, que deveria ter acontecido nesta quarta-feira (10), mas foi adiada porque um forte vento maral obrigou a direção do evento a deixar a competição em compasso de espera. Nesta quinta-feira (11), se as condições do mar permitirem, a surfista da Guarda do Embaú enfrenta a atual campeã mundial, a australiana Tyler Wright, vencedora da etapa carioca do ano passado – irmã mais nova de outro surfista do circuito profissional, Owen Wright. “Com certeza vai ser uma parada muito dura, mas pra ela a experiência já está sendo válida, já é uma premiação muito grande estar podendo participar, ter conseguido essa vaga, ter vencido a triagem já foi uma pedreira”, analisa Kxot.
É a terceira bateria do dia. Não só a Guarda do Embaú e Palhoça, mas o Brasil inteiro estará torcendo por ela.

 

Imagens


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina