palhocense.jpg

Editorial - Edição 567 - 08/12/16

08 Dezembro 2016 10:53:55

Sobre errar e corrigir

O erro é inerente ao ser humano. Em nossas profissões, visamos sempre à excelência, mas erramos e vamos continuar assim por conta de nossa natureza falha. Nesse processo de aprendizado sem fim, reconhecer a falta e avaliar procedimentos deve ser constante. Falando especificamente da área de segurança, o papel das corregedorias é identificar procedimentos abusivos, punir e cobrar novas posturas. 

Em novembro de 2015, uma família de Palhoça viveu uma noite de terror, quando recebeu a visita de uma equipe de policiais militares que teriam, segundo relatos, cometido excessos violentos. Pois bem, o caso transitou na corregedoria da PM, mas, segundo o Ministério Público, ao fim da investigação, o documento produzido pela corporação não é claro, nem conclusivo e teria omitido informações.
Não só na polícia, mas em muitas áreas há um forte corporativismo. A ilusão de que proteger um colega vai favorecer a corporação ou a comunidade daquela específica categoria profissional é um erro categórico. Cada vez que há impunidade nesses casos envolvendo a força policial, toda comunidade perde a confiança refletida numa farda.
A missão de nossos bravos policiais é proteger o cidadão e, para isso, faz-se necessária uma relação de confiança e parceria entre a comunidade e as forças policiais. Esperamos que, com justiça, construiremos uma Palhoça melhor.


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina