palhocense.jpg

?Encontrei uma identificação imediata com o povo palhocense?

15 Dezembro 2011 11:39:00

André Occhioni Martins - Art Sofá

IMG_8894

André Occhioni Martins, 34, empresário arrojado e criativo, é considerado destaque empresarial em Santa Catarina, com sede em Palhoça, onde montou a sua fábrica própria de estofados. A empresa da qual é o proprietário, a Art Sofá, foi condecorada com o certificado Master Pesquisas 2011, de melhor empresa de estofados no Estado, pela qualidade e excelência nos serviços prestados à população. A pesquisa foi realizada em 44 municípios catarinenses com 7.000 pessoas entrevistadas.

O que o motivou a instalar a sua fábrica de estofados em Palhoça?

AOM - A questão logística foi fundamental nessa escolha. Eu pesquisei e percebi que a cidade era a que estava tendo o maior crescimento da região da Grande Florianópolis e, influenciado por um amigo, decidi trazer a Art Sofá para que ela se desenvolvesse junto com a cidade.

Quantos empregos diretos e indiretos foram gerados com a abertura da fábrica e qual sua expectativa de crescimento para 2012?

AOM - Aproximadamente 100 empregos diretos e indiretos. E minha meta para 2012 é ampliar esse número para 150, além de abrir mais duas lojas, uma em Balneário Camboriú e outra em Joinville. A produção da fábrica, que hoje apenas supre a demanda das lojas, também vai passar a fornecer para o mercado nacional.

Você acha que foi acertada a escolha do município de Palhoça para instalação da fábrica da Art Sofá?

AOM - Sim, cem por cento, porque encontrei uma identificação imediata com o povo palhocense, que é muito hospitaleiro, trabalhador e quer crescer junto com a gente, qualidades que não vi em outros locais. Só lamento não ter tido o privilégio de receber incentivos fiscais no momento em que mais precisei, que foi o início da empreitada.

Qual a maior dificuldade que você apontaria hoje para um empresário se estabelecer na cidade?

AOM - A burocracia na busca de recursos financeiros por parte das instituições privadas e públicas. Com certeza, se o mercado facilitasse essas ações, mais empresas e empregos seriam criados na cidade. Falta também mão de obra qualificada, entre outros fatores que poderíamos enumerar, como consequência da falta de cursos técnicos voltados para atender essa crescente oferta de trabalho na cidade.

O que acha do atual desenvolvimento amplamente divulgado da cidade de Palhoça?

AOM - Muito me preocupa. Apesar de sua localização estratégica, cortada por duas grandes rodovias, as BRs 101 e 282, há uma grande dificuldade de locomoção por toda a cidade. Palhoça vem crescendo, a meu ver, sem preocupação com a infraestrutura básica. Basta observar a dificuldade de mobilidade urbana. De acordo com recente pesquisa do Instituto Mapa, a cidade foi considerada a de pior mobilidade urbana do Estado. Tem outros quesitos igualmente preocupantes, como saneamento básico, saúde e, principalmente, segurança. Resumindo, infelizmente, é um crescimento sim, mas sem planejamento, desordenado.

Dada sua experiência como empresário, quais sugestões o senhor poderia dar para tornar a administração pública mais eficiente?

AOM - Aproximação com as associações de bairros, entidades representativas de classe, para ouvir a população a respeito de toda e qualquer atitude a ser tomada. Acho muito ruim sair fazendo as coisas sem consultar a população. Muitos equívocos seriam evitados. E que esses planos de ações, essas metas, fossem claras, transparentes e objetivas, sempre com prazos a cumprir.

Como estão as negociações com o governo de Rondônia para abertura de uma nova fábrica da Art Sofá em Porto Velho?

AOM - Bem adiantadas. Me reuni com autoridades daquela cidade e daquele estado e saí desse encontro muito motivado pelos incentivos oferecidos e pela desburocratização que constatei, in loco, para a implementação de uma nova fábrica da Art Sofá naquele estado.

Você tem algum projeto pessoal que ainda não realizou?

AOM - Claro, em primeiro lugar, acredito que todo empresário deva ter uma preocupação com o social. No meu caso, é um sonho antigo que surge com a própria necessidade que percebo a minha volta. Vejo a dificuldade de próprios funcionários meus que tem filhos pequenos. Por isso, tenho um sonho de criar uma creche em parceria com outras empresas da região.

Nesse um ano da Art Sofá em Palhoça, que mensagem gostaria de deixar aos leitores?

AOM - Agradeço humildemente a todos os palhocenses por me receberem de braços abertos, aos colaboradores que nos ajudam no crescimento da empresa, a minha família por estar sempre ao meu lado, e em especial ao amigo Ivon Jomir de Souza, que foi o maior incentivador para que eu instalasse a Art Sofá em Palhoça e não em outros municípios como São José ou Biguaçu, como estava anteriormente planejado.

Imagens


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina