palhocense.jpg

Ônibus sob perícia

13 Julho 2017 10:30:59

Funcionários da Volvo chegariam nesta quarta-feira (12) para investigar o que aconteceu com o articulado danificado na sexta-feira (7)

Capa 597.jpg
Foto: DIVULGAÇÃO/JOTUR
Todos os articulados da empresa passaram por revisão durante o final de semana

Na última sexta-feira (7), as imagens do rompimento da estrutura articulada de um ônibus do transporte coletivo que fazia a linha Unisul-Estação Palhoça deixou muita gente perplexa. A postagem na fanpage do Palhocense com um vídeo que mostra o momento da separação das partes dianteira e traseira do veículo teve mais de 4 milhões de visualizações. Usuários ficaram assustados com o que aconteceu. E na empresa, todos os esforços estão concentrados em avaliar as causas do incidente (considerado absolutamente incomum) e em reforçar as orientações aos colaboradores para evitar que novos problemas voltem a ocorrer.
O rompimento da articulação aconteceu quando o motorista tentava arrancar, após uma parada para a descida de um passageiro na Avenida das Torres. O veículo, um Volvo B10M, já estaria apresentando problemas desde o início da linha, ainda na Pedra Branca. O motorista teria, inclusive, avisado aos passageiros que o ônibus não estava funcionando normalmente - havia 10 passageiros no carro no momento do incidente e ninguém se feriu, segundo informações da Jotur, empresa responsável pela linha Unisul-Estação. Os passageiros teriam sido orientados a se posicionar na parte traseira do ônibus.
Peritos da Volvo chegaram nesta quarta-feira (12) em Palhoça para investigar as causas do incidente. Além de periciar o veículo, eles vão percorrer o trajeto que os ônibus fazem nesta linha, para avaliar os obstáculos encontrados pelo caminho e que podem ter contribuído para o defeito apresentado.
Só o laudo, que deve estar pronto apenas na semana que vem, é que vai apurar categoricamente as causas do incidente. Por enquanto, pelas características apresentadas, especula-se que tenha havido um problema no sistema de ar do freio. Por medida de segurança, uma trava é acionada no trem traseiro do ônibus articulado quando esse tipo de problema acontece, justamente para evitar que o carro siga em movimento e o freio não possa ser acionado. Como o motorista tentou arrancar, mesmo com a parte traseira travada, a tensão na articulação foi intensa o suficiente para provocar o rompimento. Um motor destes tem a potência de 340 HPs, o que é força suficiente para romper a sanfona.
Essa situação, no entanto, seria bastante incomum. Há o registro de outro caso de rompimento de articulação na Colômbia, sob circunstâncias semelhantes. No país vizinho, no entanto, o ônibus quebrado na pista acabou provocando um acidente e pessoas se feriram.
A direção da Jotur avalia que o incidente do rompimento poderia ter sido evitado. Aos primeiros sinais de problemas no sistema de ar, a atitude correta seria descer os passageiros (que esperariam um novo ônibus para seguir viagem) e chamar a manutenção. A empresa assegura que passa essa orientação aos colaboradores, e vai reforçar a instrução. 
A direção também revela que os ônibus passam por avaliação periódica (o próprio carro acidentado teria passado por uma revisão na sexta-feira mesmo, mais cedo, antes do incidente, que aconteceu por volta de 17h), e que este tipo de veículo raramente gera manutenção, porque seria um sistema muito bem arquitetado. “Foi uma coisa fora do comum”, avalia a direção.
Mesmo assim, depois do incidente, todos os carros articulados da empresa foram diretamente para uma revisão. A partir do momento em que aconteceu a ocorrência, toda a equipe mecânica esteve empenhada em um mutirão durante o final de semana para verificar os carros. Toda a equipe de mecânicos foi acionada e fez um esforço extra só para revisar o restante dos articulados. Os veículos também serão mandados para a Volvo, para cumprir com o “check list” de revisão da própria montadora, e assim, evitar que o incidente volte a acontecer.

 

 


4.139.103 
pessoas alcançadas
15.582 
compartilhamentos
2.478 
comentários

Acompanhe alguns dos 2478 comentários postados na rede social do Palhocense

Já vi ônibus iguais a esse ter esse mesmo problema. A empresa que trabalhei possuía dois. Em um ocorreria isso, só que foi constatado o problema e solucionado antes de ocorrer a catástrofe.

Luciano Costa Mendes 

Isso tudo nós já sabíamos, pois quando este latões que vocês chamam de ônibus faz manobras para sair da estação, o barulho era ensurdecedor, e era até motivo de risadas dos funcionários da Jotur. Isso era sabido que iria acontecer, tanto que este monte de ferro que vocês insistem em chamar de ÔNIBUS nem fazia uma linha até o Centro - o porquê vocês já sabiam. Esta nota de esclarecimento é uma piada, aliás como todas vindas desta empresa que não se preocupa o mínimo com seus usuários que se espremem todos os dias dentro destes verdadeiros cavalos de troias. No Rio e São Paulo as pessoas têm que rezar para não serem surpreendidas por uma bala perdida. Aqui em Palhoça temos que rezar antes de entrar nestes Kinder Ovos, que todos os dias nos dão uma surpresa.

Elder Batista Leite Junior 

Meu Deus, isso nunca passou pela minha cabeça. Glória a Deus que as pessoas não se feriram. Jesus nos proteja! AMÉM!!

Rosaria Cavalcante


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina