palhocense.jpg

Cartão Rosa - Edição 591 - 01/06/17

01 Junho 2017 14:04:43

gringo.jpg

Pensamento do Bambi
É logico que tinha corrupção na Friboi. Ninguém é rico se chamando Joesley.


Abrir o olho
Independentemente de quem serão os próximos adversários, a diretoria do Figueirense precisa entender a importância de reforçar bem o elenco para a Segundona Brasileira. Começar o Campeonato Brasileiro da Série B com seis pontos em doze disputados, podemos considerar que é bom. Os tropeços diante do Guarani/SP e Boa Esporte mostram exatamente como é o nível desta Série B. Não adianta querer jogar em alto refinamento, o time precisa pontuar agora, para não cair no desespero lá na frente. É visível que o Figueirense tem problemas na hora de concluir as jogadas de ataque, e aliado a isso a falta de opções no banco, principalmente no setor ofensivo. É bom abrir o olho.


Bons nomes
Que o Leão precisa se reforçar urgentemente isso é fato.  Afinal, estar disputando a elite do futebol brasileiro não é uma tarefa fácil. Pensando nisso, o departamento de futebol do clube azurra não está medindo esforços para trazer bons nomes para a Ressacada. Maicon, com passagens por grandes clubes europeus e pela Seleção Brasileira acertou com o clube. No embalo de grandes contratações, o lateral-esquerdo Juan, que já defendeu o Flamengo, São Paulo e Fluminense também aparece como novidade ao lado de Alex ex-Inter/RS. Se assim for, o Avaí começa a tomar cara de time que disputa a Série A do futebol brasileiro.


Jogando contra
O Figueirense parece estar se revelando contra si próprio. No jogo contra o Guarani de Campinas, um dos destaques daquele jogo foi o jogador Bruno Nazário, cria do clube catarinense. Contra o Boa Esporte, o time catarinense teve pela frente o goleiro Luan Polli, cria da casa e que fez defesas importantes para manter a vitória do time mineiro em pleno Scarpelli e levar os três pontos para Varginha. Como diria aquele velho filósofo: “contra mim é um Leão, a favor tornasse um cordeirinho”.


Entre os melhores
Com a bela campanha da Chapecoense, que está ressurgindo das cinzas, podemos afirmar que Santa Catarina está tendo um sentimento de orgulho neste Brasileirão. Já foi assim com o Figueirense, em 2004, com o Avaí, em 2010, e o Criciúma com a conquista da Copa do Brasil em 1991. Mesmo com dois clubes na série A, já tivemos quatro neste certame. O futebol catarinense está numa crescente em competições nacionais, aparecendo e incomodando muita gente.


Fugindo
Não é só o Avaí que faz coisas. O Figueirense também faz ultimamente. O goleiro Fábio fez o Figueirense viver uma situação inusitada que repercutiu em toda a mídia nacional na noite da última terça feira(20). Fazendo o seu debute com a camisa alvinegra, o veterano goleiro tomou um “frango” ainda no primeiro tempo e no intervalo do jogo deixou o Orlando Scarpelli pela porta dos fundos, embarcando em um taxi. O jogador de 38 anos foi indicado pelo superintendente Carlos Arini, que o demitiu logo depois da fuga.


Trocando de clube
Em menos de doze meses, passaram pelo Internacional Argel Fucks, Falcão, Celso Roth, Lisca, Antônio Carlos Zasgo e agora assume o comando do Colorado gaúcho o experiente Guto Ferreira, que deixou o Bahia no início  do Brasileirão e que havia conquistado a Copa Nordeste. Em 2016, o Gordiola, apelido que ganhou do torcedor baiano, trocou a Chapecoense na Série A, pelo Bahia na Série B. Essa fama de largar um comando no meio de um trabalho fica meio estranho e poderá afetar o futuro de um profissional. Vai faltar confiança na hora de contratar.


Cartão rosa/vermelho

CARTÃO ROSA para o meu bom amigo Alex, o popular Keka, que com muita competência e simpatia comanda o Botequim do Angolano. Naquele nobre espaço etílico concentra-se a maior quantidade da beleza masculina de Palhoça. É ver para crer.

CARTÃO VERMELHO para este cartel de postos de gasolina que se formou na Grande Florianópolis. É inadmissível ver o absurdo na cobrança de preços por litro de gasolina. Em Tijucas, o litro do precioso líquido fica em torno de R$ 3,05, enquanto que por aqui muitos dos donos de postos metem a faca no pescoço do pobre consumidor. E não tem como correr.


Drops da arquibancada
Mais uma vez o Alvinegro catarinense teve uma daquelas performances catastróficas em pleno Orlando Scarpelli e o que se viu foi a derrota de um clube que quer retornar à Série A e a fuga de um goleiro depois de uma grave falha.
O Criciúma não tinha mais como segurar o emprego do jovem treinador Deivid. Em seu lugar, o Tigre está trazendo Luiz Carlos Winck, que treinando o Caxias quase eliminou o Internacional no Gauchão.
Não considero Rogério Ceni um grande técnico, mas depois de deixar a sua soberba de lado, colocou seu time na defesa, explorando os contra-ataques, chegando à vitória contra o Palmeiras. Muitas vezes a humildade nos ajuda, e muito.
Como está se tornando hábito, poucos torcedores foram ver o jogo no Orlando Scarpelli. Parece que o torcedor alvinegro ainda está desencantado com o time e está desistindo de prestigiar suas exibições dentro de casa. 
Este colunista esteve no último fim de semana participando das festas de aniversário do município de Ibicaré, no Meio-Oeste catarinense, num jogo festivo com o master do Figueirense. O carinho e a admiração do povo brasileiro pelo meu personagem é algo grandioso e emocionante.


Legendas:

Os amigos Maninho, Marcelo e Valmir se reunindo para torcer pelo Botafogo no Bistrô do Dedé, na Ponte do Imaruim

O bom time do Nevada dos anos 80, que fazia um grande sucesso no futebol amador de nossa região. Um dos destaques deste time era o empresário Fernando Carriço, o popular Petanha das bebidas


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina