palhocense.jpg

Bondeconomia - Edição 593 - 15/06/17

16 Junho 2017 10:18:07

IMG_1718b.jpg

POLOS CERVEJEIROS LEVAM CREA-SC A FAZER CONCURSO PARA A ESCOLHA DE MESTRES
Já dissemos aqui algumas vezes que cerveja em SC é coisa séria. Os polos cervejeiros artesanais estão se desenvolvendo muito rapidamente – no mesmo ritmo que o consumo da bebida está aumentando – e os recentemente criados, como o de Jaraguá do Sul, aceleram o passo para pôr a produção à venda. O negócio cerveja artesanal cria dezenas de empregos e outros negócios à sua volta – tão importante quanto produzir bebida de qualidade é a logística de distribuição. E um dos novos empregos que surgem desse negócio é exatamente o de mestre-cervejeiro, o profissional que combina lúpulo, malte, água, leveduras e garante que a cerveja sempre saia da fábrica com o mesmo gosto, cor e aroma. Para descobrir novos talentos nessa arte, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-SC) está promovendo o 1º Concurso Engenheiro Cervejeiro para selecionar (fotos) a melhor cerveja produzida pelos estudantes dos cursos de Engenharia Química, de Alimentos e Agronomia das universidades catarinenses cadastradas na entidade. Coordenado pela Câmara Especializada de Engenharia Química, o concurso teve 30 equipes inscritas, 23 cumpriram os requisitos do edital e cinco estão na final. Foram classificadas a Uniarp, de Caçador, com uma cerveja weiss; a Unoesc, de São Miguel do Oeste, com uma stout; a Unesc, de Criciúma, com uma porter; a Faculdade Satc, também de Criciúma, com uma stout; e a UFSC, de Florianópolis, com uma imperial stout. O evento tem o patrocínio da iniciativa privada, como o da Cervejaria Unika, de Rancho Queimado. “A gente precisa incentivar cada vez mais as profissões ligadas ao nosso negócio, porque ele só se desenvolverá se o consumo de cerveja artesanal crescer como um todo – precisamos de excelentes mestres para colocar em polos que estão surgindo agora, como esse de Jaraguá do Sul”, diz Ronaldo Ferreira, advogado que virou empreendedor no segundo semestre do ano passado, quando foi inaugurada a Unika e em seguida um entreposto que está fazendo enorme sucesso no circuito gastronômico da Beira Mar Norte em Florianópolis. 


UMA HOMENAGEM AO ‘SEU LEFRA’

Os organizadores do 1º Concurso Engenheiro Cervejeiro fizeram questão de divulgar os finalistas no dia 5 de junho, quando se comemora o Dia da Cerveja Brasileira. Essa data foi escolhida para homenagear o mestre-cervejeiro catarinense Rupprecht Loeffler, que morreu em 2011 e que faria 99 anos neste início de junho. ‘Seu Lefra’ é conhecido no Brasil e no exterior por ser dono da Canoinhense – a mais antiga cervejaria artesanal do país – fundada em 1908 pelo pai dele, Otto Loeffler. O cervejeiro de Canoinhas começou a ficar famoso pelos idos de 1986, quando o Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro, estampou na capa uma foto do ‘Seu Lefra’ na exótica cervejaria, entre  as garrafas e torneiras de chope produzidos a partir de receitas que estão na família há cinco gerações. Foi uma das mais interessantes reportagens feitas por este jornalista, com fotos do talentoso Tarcísio Mattos. Mas os méritos da ‘descoberta’ da mais antiga cervejaria artesanal ficam para o repórter Rosnel Bond, meu pai, que na época fazia pesquisas sobre a Guerra do Contestado na região e nos levou até ‘Seu Lefra’.


Lavoura salva

O agronegócio foi o principal responsável pelo avanço de 1% do PIB brasileiro em relação ao 4º trimestre do ano passado, segundo o IBGE. O setor registrou a maior expansão em 20 anos, com um crescimento de 13,4% no último trimestre. Soja, milho, arroz e também o fumo respondem por 50% do PIB da agropecuária do país. E é justamente na produção de arroz e fumo que Santa Catarina se destaca – o estado é o segundo maior produtor nacional desses produtos. “Estamos confiantes de que este ano será excelente para o agronegócio catarinense, já registramos recordes de produtividade no milho e na soja e a maçã, uva e as frutas de caroço também têm uma boa safra. Sem contar o setor de carnes que se mantém em destaque com alta nas exportações e possibilidade de conquista de novos mercados”, afirma o secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies. Mesmo com toda a crise (política), é possível que a economia sobreviva por essas e por outras – e o brasileiro tenha um Natal melhor do que os últimos. 


AMBIENTAL

Uma dica de passeio interessante no interior: no mês do Meio Ambiente a Celulose Irani oferece a Trilha dos Xaxins, localizada em uma área de reserva legal perto de Vargem Bonita, no meio oeste de SC. Além da enorme quantidade de espécies da planta que dá nome ao lugar, a visita guiada (foto) tem um percurso de 2,3 quilômetros entre nascentes, córregos, vegetação nativa, pequenos animais e toda a beleza da Mata Atlântica. O passeio dura 40 minutos e é utilizado principalmente para educação ambiental, cujas atividades promovidas pela Celulose Irani já atraíram mais de 41 mil pessoas. Agendamento pode ser feito pelos fones (49) 3548-9152 e 3548-9156. 


FALANDO NISSO
“Os avaliadores ficaram impressionados com o trabalho dos alunos, da qualidade das cervejas aos relatórios elaborados. Todas as 23 equipes estão de parabéns”.
Fernanda Meybom Machado, assessora técnica do Crea-SC, que promove o 1º Concurso Engenheiro Cervejeiro


HOMENAGEM

O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte (à esquerda na foto) recebeu homenagem do reitor da UFSC, Luis Carlos Cancellier, por sua contribuição à ciência e tecnologia. Também foram agraciados o ex-senador Luiz Henrique da Silveira (in memoriam) e o deputado federal Esperidião Amin, além de pesquisadores, profissionais de imprensa e o INPI. A cerimônia marcou o encerramento do projeto Mais Ciência, com patrocínio do Ministério de Ciência e Tecnologia e apoio da Fiesc. Por meio do Mais Ciência, realizado com emendas parlamentares, foram organizados nove eventos científicos que debateram inovações tecnológicas. 


PELA EDUCAÇÃO

Em seu discurso, o reitor Luis Carlos Cancellier fez menção ao compromisso do presidente da Fiesc com a educação, iniciativa muito aplaudida pela plateia. Mas Cancellier também merece palmas por estar mudando (ou resgatando) o perfil da Universidade Federal, que por anos andou perdida, longe da comunidade e do setor produtivo, que absorve seus formandos. O reitor afirmou que o projeto Mais Ciência é uma relevante contribuição para a inovação, que leva “à criação de uma sociedade em que haja emprego, geração de renda e distribuição de riqueza”. 

Imagens


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina