palhocense.jpg

Boca Maldita - Edição 566 - 01/12/16

01 Dezembro 2016 07:46:00

DSCN9999.JPG

A Boca Maldita é sua
Sérgio Filomeno - morador do bairro Pagani: “Vivemos um momento crítico nas áreas social, institucional, política e econômica. Estamos num momento de muitas definições e resoluções que certamente irão impactar em todos estes setores. Todavia, não podemos assistir os acontecimentos passarem sem fazermos uma reflexão do que somos e o que queremos para nós mesmos e nosso país. Não podemos ficar apenas criticando todos os acontecimentos que julgamos errados sem termos discernimento para julgá-los de maneira coerente. Precisamos ter nossos posicionamentos bem fundamentados para que esses venham contribuir com a sociedade e com nosso país. Devemos começar fazendo nossa auto avaliação. Como agimos em nosso dia a dia, o que passamos para nossos familiares, amigos e às pessoas com as quais temos contato. Se pergunte: meus atos e pensamentos são condizentes com uma pessoa que reclama de tudo que está acontecendo em nosso país? Você faz alguma coisa para contribuir com que as coisas melhorem para você e nossa sociedade? Se você teve uma avaliação positiva nestes questionamentos, certamente faz parte de um grupo de pessoas que pode colaborar com as mudanças tão urgentes para sairmos deste caos político, social e econômico que estamos vivendo”. 


Passando para lembrar
Fazer serviço pela metade vem se tornando uma prática constante por parte da Secretaria de Obras da Prefeitura. O exemplo é a remoção de parte do asfalto na rua César Rene Wagner, no Alto Aririú. O asfalto foi removido para que fosse feita uma canalização de águas pluviais, mas a cratera está lá há mais de um mês, tirando o sossego de moradores da rua. Até acho que deve ter sido esquecimento, porque esqueceram uma montoeira de tubos em cima da calçada da mesma rua e não apareceram mais para buscar! 
O engenheiro da Prefeitura Rodolpho Martins prometeu resolver o problema até a próxima semana, quando acontece a festa de 100 anos da capela do bairro.


Deveras compromissados
Não se sabe por que entre os 17 vereadores eleitos para legislar em prol do povo palhocense, apenas sete assinaram o termo de compromisso proposto pelo Observatório Social. Foram eles: André Carlos Xavier, Jean Henrique Dias Carneiro (Jean Negão), Luciano Pereira, Marcos Roberto de Melo (Marquinho do Pacheco), Nirdo Artur Luz (Pitanta), Rodrigo Quintino e Rosinei de Souza Horácio. O prefeito Camilo Martins e o vice-prefeito Amaro Júnior também assinaram o compromisso proposto pelo Observatório Social.
O que mais me espanta é que o próprio postulante a presidente da Câmara do grupo dos 10,  vereador Fábio Coelho (Fabinho), não assinou o compromisso! Não entendi, será que o Petanha pode me explicar?!

Ser honesto ou não ser: eis a questão!
A criação do Observatório Social de Palhoça, órgão formado pela sociedade civil para moralizar as contas do poder público de Palhoça, tem tirado o sono de vereadores e da classe política em geral. O que é algo espantoso, já que o que se pede da classe política palhocense é o compromisso com a honestidade com a coisa pública para o bem estar da população, o que deveria ser um dever e não uma obrigação. A intenção é a de moralizar, mas a maioria dos nossos políticos já se acostumou com a velha prática do toma lá dá cá e querem mesmo é continuar intocáveis!


Perguntar não ofende, ofende?!
A pergunta que não quer calar é: será que os dez vereadores que ainda não se comprometeram em fazer a coisa certa, andam pensando em fazer coisa errada?!


O que dizem e eu Não Afirmo...

QUE a temporada de verão está chegando e só a Prefeitura é que não está sabendo! Dizem que é porque já está “queimada” lá no Sul!
QUE a retirada de areia e lixo está destruindo ainda mais o rio Passa Vinte, na região da ponte entre o Caminho Novo e o bairro Bela Vista. Demolições de barracos foram feitas na semana passada e outras demolições devem acontecer em breve. O local precisa de uma fiscalização permanente, se não vai ser como chover no molhado!
Que depois de quase um ano sem receber nenhum policial, o Batalhão da PM de Palhoça teria recebido apenas nove. Nesse período, já se aposentaram dezenas e chegaram em Palhoça mais de dois mil marginais. É ou não é de dar com um gato morto nos cornos do Raimundo!
Que a Prefeitura não tem mais dinheiro pra nada. Só para pagar o salário dos secretários!
QUE dos 17 vereadores eleitos na última eleição, apenas quatro ou cinco compareceram na quinta-feira no lançamento do Observatório Social. E teve quem foi e mesmo assim não assinou o compromisso! Se fosse antes das eleições, todos teriam ido e assinado, ou não?!

Imagens


logo palhocense.png

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina